Em foco

Tumblr quer deixar de ser uma app para pornografia

A aplicação deixou de estar disponível na App Store, em Novembro, depois de ter sido descoberto conteúdo pedófilo.

Data: 05.12.2018

Tumblr quer deixar de ser uma app para pornografia

Ao longo dos últimos anos, a rede social de microblogging Tumblr – uma espécie de híbrido “entre o Twitter e o Facebook”, muito assente na partilha de imagens – foi despertando interesse um pouco por todo o mundo, incluindo em Portugal, ainda que sem nunca alcançar o mesmo sucesso dos serviços concorrentes.


Do “Ser Português” às pequenas metades (“2 kinds of people”), ou até mesmo aos “99 problemas de Jay Z”, o Tumblr serviu de plataforma e até mesmo inspiração a diversos projectos e blogues sobre as mais variadas áreas e culturas.


Até que a rede social, criada em 2007, passou a ser um dos principais sítios da Internet para a divulgação de conteúdos pornográficos e abusivos, fenómeno que muitos atribuem à sua política tolerante em relação à publicação de conteúdos para adultos.


Escreve o diário Guardian que o Tumblr “ganhou uma reputação de porto seguro para artistas de conteúdo para adultos, trabalhadores da indústria do sexo e pornógrafos”. O resultado foi que esta rede ficou inundada de conteúdo sexual, que coexiste junto a páginas mais inocentes de fãs que vão desde o Harry Potter ao anime


Agora, a plataforma pretende salvar a sua reputação e deixar de ser vista como uma app para pornografia, tendo anunciado esta segunda-feira que irá banir todo o conteúdo pornográfico do seu serviço, já a partir deste mês. Citado pelo Guardian, o director executivo do Tumblr, Jeff D’Onofrio referiu que à medida que o site cresceu, também aumentaram as suas responsabilidades para com “diferentes grupos etários, demográficos, culturas e mentalidades”, pelo que decidiram remover todo o conteúdo para adultos a partir de 17 de Dezembro.


“Passamos um tempo considerável a medir os prós e os contras da expressão na comunidade [online] que inclui conteúdo para adultos. Ao fazê-lo, tornou-se claro que sem este conteúdo temos a oportunidade de criar um lugar onde mais pessoas se sentem confortáveis em expressar-se”, explicou Jeff D’Onofrio.


Numa publicação no próprio site, o Tumblr garante que todo o conteúdo explícito, incluindo fotografias, vídeos ou gifs que "mostre genitais humanos reais ou mamilos femininos”, assim como “qualquer conteúdo que retracte actos sexuais” será identificado e eliminado através de algoritmos.


Não obstante, o site garante que existirão excepções. Por exemplo, a exposição de mamilos femininos relacionada à amamentação, nascimentos ou casos de saúde ou cirurgias, assim como nudez associada a manifestações políticas ou obras de arte continuarão a ser permitidas.


O conteúdo sexual já existente será, por sua vez, “sinalizado” e “redireccionado para uma configuração privada” (ao qual apenas a pessoa que publicou terá acesso) deixando de estar disponível à comunidade em geral, de forma a evitar que esse conteúdo seja partilhado. Por agora, a rede social está a notificar via e-mail os usuários que publicaram conteúdo para adultos já identificado. No entanto, estas contas não serão eliminadas de imediato, para que os utilizadores tenham a oportunidade de publicar conteúdo que esteja em concordância com as políticas do Tumblr daí em diante. Caso considerem que foi cometido um erro na eliminação de determinado conteúdo, os utilizadores poderão ainda intervir e recorrer da decisão. 


O director executivo, Jeff D’Onofrio, resume a nova medida por outras palavras: “não faltam sites na Internet que apresentem conteúdo para adultos. Vamos deixá-los encarregues disso e concentrar os nossos esforços em criar o ambiente mais acolhedor possível para a nossa comunidade”, explicou ao Guardian.


“90% da razão pela qual alguém adere ao site” 


Em Novembro, a aplicação móvel do Tumblr foi retirada da App Store da Apple depois de o seu sistema de filtragem ter falhado e ter permitido a divulgação de pornografia infantil. O incidente gerou preocupação relativamente à segurança dos utilizadores mais jovens.


À data, o Tumblr explicou numa publicação online que “qualquer imagem carregada no Tumblr é analisada através de uma base de dados de material conhecido sobre abuso sexual de menores, e as imagens que são detectadas nunca chegam à plataforma”. Na mesma publicação, confirmou que “uma auditoria de rotina descobriu conteúdo na nossa plataforma que ainda não tinha sido incluído nessa base de dados” e que tinham removido “imediatamente” tal conteúdo, alertando ainda para o desafio que é salvaguardar o conteúdo em tais plataformas. 


Quanto à nova política, esta tem como objectivo eliminar totalmente a pornografia da rede social e irá alterar a forma como esta será utilizada no futuro pela comunidade online. Comprado em 2013 pela Yahoo por 1100 milhões de dólares, o Tumblr (que agora pertence à Oath) assume uma preocupação cada vez mais comum entre as grandes empresas de media em restringir o tipo de conteúdo que é divulgado através das suas aplicações. 


Mas o anúncio não agradou a vários utilizadores, que recorreram ao Twitter para expressar o seu desagrado. Nesta segunda-feira, foi também criada uma petição online contra esta medida, que está a crescer rapidamente. Passadas seis horas de ter sido criada, a petição contava já com mais de 40 mil assinaturas de utilizadores que alegam que o conteúdo sexual, denominado “não seguro para o trabalho” (NSFW na sigla inglesa), é uma forma de arte e que a pornografia constitui “90% da razão pela qual alguém adere ao site”. 


Fonte: Público



Voltar