Em foco

Estudantes de Coimbra criam aplicação para ajudar quem tem limitações na voz

Estudantes de engenharia informática da FCTUC criaram a app Clave de Fala que possibilita que "as pessoas limitadas da voz comuniquem de forma eficaz no seu quotidiano".

Data: 04.12.2018

Estudantes de Coimbra criam aplicação para ajudar quem tem limitações na voz

Uma aplicação desenvolvida por estudantes de engenharia informática na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) permite a quem tem limitações na voz comunicar de forma eficaz no seu quotidiano.


Seis alunos do terceiro ano da licenciatura em engenharia informática da FCTUC criaram a aplicação Clave de Fala, cujo objectivo é "possibilitar que as pessoas limitadas da voz comuniquem de forma eficaz no seu quotidiano", afirma aquela faculdade, numa nota enviada à agência Lusa.


André Correia, António Eloi, Cláudio Gomes, Joana Lameiras, Pedro Silva e Telma Portugal são os autores da aplicação (app) que, a partir de quarta-feira, pode ser "descarregada gratuitamente na Play Store, nesta fase, em versão Android", adianta a FCTUC.


A Clave de Fala foi criada no âmbito da cadeira de Processos de Gestão e Inovação (PGI), uma unidade curricular do curso, e "a ideia surgiu justamente porque um dos elementos do grupo tem um problema auditivo e já "sentiu na pele" alguns embaraços na comunicação", explicam os inventores da aplicação. Coisas tão simples como "ir à farmácia pedir um medicamento para a gripe pode ser uma tarefa complicada", sustentam os criadores da app.


Muitas vezes, prosseguem, "devido às suas dificuldades de comunicação, as pessoas limitadas da voz, pessoas com limitações na fonação, tendem a isolar-se". Por isso, querem com a aplicação ajudar a dar "uma nova voz a quem mais precisa" e, assim, "promover a inclusão".


Muitas vezes, prosseguem, "devido às suas dificuldades de comunicação, as pessoas limitadas da voz, pessoas com limitações na fonação, tendem a isolar-se". Por isso, querem com a aplicação ajudar a dar "uma nova voz a quem mais precisa" e, assim, "promover a inclusão".


O processo de desenvolvimento da Clave de Fala contou com o apoio da Associação Portuguesa de Limitados da Voz (APLVoz). "Foi essencial ouvir a APLVoz. Percebemos melhor as reais necessidades destas pessoas e permitiu dotar a aplicação com as respostas mais adequadas", salientam.


Para que a aplicação possa ser melhorada, os autores vão colocar o código em domínio público. Deste modo, concluem os criadores da app, "outros estudantes, investigadores ou simplesmente pessoas com curiosidade e vontade de ajudar vão poder contribuir para este projecto social".


Fonte: Público



Voltar