Em foco

92% dos brasileiros possuem ou usam smartphones com frequência

O smartphone é o dispositivo mais usado entre os utilizadores brasileiros.

Data: 20.10.2018

92% dos brasileiros possuem ou usam smartphones com frequência

Segundo pesquisa realizada pela Deloitte que foi apresentada nesta quinta-feira, 18, 92% dos consumidores possuem o handset ou utilizaram recentemente, um crescimento de 5 pontos percentuais em relação a análise feita um ano antes.


"A adoção de smartphone vem crescendo ano após ano no Brasil. "Ele faz parte da realidade do brasileiro. Já podemos ver, inclusive, a simbiose dele em funções do cotidiano, como o trabalho", explicou Marcia Ogawa, sócia-líder da Deloitte na área de Tecnologia, Mídia e Telecomunicações.


Na questão, que era de múltipla escolha, os notebooks aparecem com 70% das respostas, um crescimento de 3 pontos percentuais ante 2017. Por sua vez, os desktops surgem com 64%, um incremento de 6 pontos percentuais. E os tablets aparecem com 48%, 4 pontos percentuais acima do ano anterior.


Embora o crescimento em tablets, notebooks e desktops tenha sido razoavelmente grande, Ogawa explicou que este incremento não é um crescimento real, mas uma consistência dos dispositivos, uma vez que eles mantêm a mesma média desde o começo da pesquisa em 2014. Ao comparar com os smartphones, a executiva explica que os handsets apresentam um crescimento exponencial ano a ano.


Os outros dispositivos citados na pesquisa são: telemóvel convencional, com 20% (queda de 1 ponto percentual); Videogame portátil, com 12%  (igual a 2017); óculos de realidade virtual, com 10% (aumento de 2 pontos percentuais); os e-readers, com 9% (aumento de 2 pontos percentuais); smartwatches, com 9% (aumento de 1 ponto percentual); e pulseiras conectadas com 6% (queda de 1 ponto percentual).


Sobre o recuo em telemóveis convencionais, a social-líder da Deloitte acredita que esta é a migração natural da população para os smartphones. E o mesmo acontece com as pulseiras conectadas, uma vez que os consumidores começam a substituí-las por smartwatches por serem mais robustos em funcionalidades.



Uso


Em outra questão de múltipla escolha, a Deloitte perguntou aos donos dos respectivos aparelhos qual era a frequência de uso. Novamente, o smartphone lidera com 97% dos entrevistados dizendo que acessaram o dispositivo nas últimas 24 horas antes de responderem a pesquisa. Aparecem em seguida, desktop, com 76%; notebook, com 72%; smartwatch, com 61%; telemóvel convencional, com 58%; pulseira conectada, com 57%; tablet, com 51%; e-reader, com 39%; videogame portátil, com 37%; e óculos de realidade virtual com 23%.


A consultoria fez ainda um recorte sobre a utilização de pulseiras por gênero. Na separação, 61% dos homens disseram que utilizaram o vestível 24 horas antes. Entre as mulheres, a porcentagem foi de 51%. Outra divisão feita foi do consumo de e-readers por idade que mostram jovens de 18 a 24 anos como os principais consumidores de livros eletrônicos no dia, com 45%. Pessoas com 35 a 44 aparecem em seguida, com 44%, entre 25 e 34 anos são 42%. E entre 45 e 55 anos obteve 26% das respostas.



Metodologia


O estudo faz parte de uma pesquisa global que a Deloitte realiza anualmente desde 2014. No mundo, a companhia ouviu 40 mil pessoas, de 18 a 55 anos, em 22 países. Para a análise, o Brasil colaborou com 2 mil entrevistas que foram feitas por meio de questionário eletrônico. A pesquisa aborda ainda dados de consumo de vídeo, smart home, hábitos de smartphone e uso de biometria. Essas informações serão divulgadas em uma série de matérias nos próximos dias.


Fonte: Teletime



Voltar