Em foco

Resultados da Apple superam expectativas de investidores

O iPhone X voltou a ser descrito como o "aparelho mais popular" da marca e as acções da Apple subiram cerca de 2,4% nas transacções após o fecho da bolsa.

Data: 01.08.2018

Resultados da Apple superam expectativas de investidores

A Apple apresentou resultados fortes para o segundo trimestre de 2018, com a empresa a destacar o aumento das receitas na venda de músicas e aplicações, e o topo de gama iPhone X. Apesar de uma ligeira descida nos valores face aos primeiros meses de 2018, as receitas da empresa subiram 17% face ao período homólogo de 2017, e a facturação total superou as expectativas dos analistas de Wall Street.


“É o melhor trimestre a acabar em Junho de sempre para a Apple, em parte devido às vendas dos iPhones e ao foco nos serviços", disse o presidente executivo da empresa, Tim Cook, na apresentação de resultados da empresa, esta terça-feira. O topo de gama, o iPhone X, voltou a ser descrito como “o aparelho mais popular do trimestre.”


Foi a receita da venda dos modelos de iPhone que representou, como é habitual, a maior parte das vendas da marca, com a empresa a comunicar uma facturação total de 53.265 milhões de dólares (cerca de 45.532 milhões de euros) durante esse período. Apesar de a facturação ser 13% menos que o trimestre anterior, que terminou em Março, o valor ficou acima das expectativas dos analistas que previam 52.400 milhões de dólares para o total de receitas. Com o final da época do Natal, o entusiasmo com a compra de aparelhos tende a diminuir até que sejam apresentados novos produtos. No final de 2017, porém, a Apple estreou-se a lançar três modelos de uma só vez. Para além do topo de gama iPhone X (que trouxe uma nova forma de interagir com o telemóvel através de gestos), vieram o iPhone 8 e o 8 Plus.


Entre Abril e Junho de 2018, a Apple vendeu cerca de 41,3 milhões de iPhones. Apesar de serem menos 21% de unidades que no trimestre anterior, em que a empresa vendeu 52,2 milhões de unidades, o resultado apenas ficou ligeiramente aquém das expectativas dos analistas que previam cerca de 41,6 milhões de unidades vendidas durante esse período. Já a receita com serviços (em que estão incluídas as vendas de música e aplicações), subiu 4%, acrescentando 9548 milhões ao total de receitas.


Este trimestre, além dos serviços, o destaque foi para os iPads, com 11,5 milhões de unidades vendidas (mais 27% que no trimestre anterior), depois de a Apple apresentar aquilo que descreve como o “iPad mais económico e acessível”, em Março, com mais de 200 aplicações didácticas. 


As acções da Apple subiram cerca de 2,4% nas transacções após o fecho da bolsa.


Fonte: Público


 



Voltar