Em foco

O que você precisa saber sobre a 'Momo do WhatsApp' e os riscos que ela representa

Fenômeno viralizou no app e é mais uma forma de lançar golpes e extorquir pessoas; Usuários e pais de crianças e adolescentes devem ficar atentos

Data: 30.07.2018

O que você precisa saber sobre a 'Momo do WhatsApp' e os riscos que ela representa

Descoberto na semana passada por jornais de língua espanhola, o fenômeno Momo traz a figura de uma personagem de olhos esbugalhados que poderia muito bem ter saído de um  filme de terror. Sua imagem ficou famosa no WhatsApp e foi disseminada como um desafio viral parecido ao jogo da Baleia Azul. Apesar de soar algo inofensivo à primeira vista, especialistas alertaram sobre os riscos atrelados ao fenômeno. 


"Tudo começou em um grupo de Facebook onde os participantes eram desafiados a começar a se comunicar com um número desconhecido", publicou no Twitter a Unidade de Investigação de Delitos Informáticos do Estado de Tabasco, no México. A organização reportou que vários usuários disseram que, se enviassem uma mensagem à Momo do seu celular, uma resposta vinha com imagens violentas e agressivas. "Aliás, há quem afirme que teve mensagens respondidas com ameaças", escreveu.


O fenômeno se estendeu por todo o mundo, e chegou até mesmo ao Brasil sendo usado como isca por cibercriminosos para roubar dados e extorquir pessoas. Por oferecer uma ameaça a segurança de crianças e adolescentes, pais também devem ficar atentos. Analistas da Kaspersky Lab separaram, em tópicos, mais detalhes a respeito, bem como dicas para garantir a proteção de todos os familiares.  


Mas o que é isso?


Momo é o nome dado a um suposto usuário de WhatsApp que funciona como uma espécie de corrente e faz com que crianças e adolescentes salvem em suas agenda de contatos do celular um número do Japão (+81). Desta forma, eles poderiam conversar com esse suposto personagem.


Como funciona? 


Os criminosos fazem uso de engenharia social, técnica bem conhecida em golpes disseminados pelo WhatsApp, pois é assim que a campanha maliciosa se dissemina de forma rápida e abrangente. A engenharia social tornou-se bastante popular nos últimos anos graças ao crescimento exponencial das redes sociais, mensagens de e-mail e outras formas de comunicação online. No campo da segurança da informação, este termo é amplamente usado para fazer referência a um conjunto de técnicas usadas por cibercriminosos para manipular as suas vítimas com o objetivo de obter informações confidenciais ou convencê-las a executar ações que comprometam seu sistema.


Apenas com o número de celular da "vítima" o criminoso consegue todas as outras informações?  


Se o criminoso se esforçar, ele vai facilmente encontrar essas informações online. Atualmente acontecem muitos incidentes de vazamentos de dados, onde dados como endereço, nome dos pais, familiares etc são vazados. Há muitos incidentes assim, e tais dados disponíveis ajudam os golpistas a aplicar os golpes. Além disso existem serviços undergrounds (e outros públicos) onde é possível obter dados pessoais facilmente, acredito que o melhor exemplo seja o site TudoparaTodos, que possibilitava buscas de dados pessoais a partir do nome ou CPF. 


Dependendo do conteúdo que o usuário posta a respeito da sua viagem e até mesmo se está sozinho em casa, pois seus pais foram viajar, isso pode chegar nas mãos de cibercriminosos. No entanto, o usuário pode e deve assumir o controle de sua informação, uma vez que tanto os navegadores de Internet quanto os sistemas operacionais móveis, oferecem configurações que permitem proteger sua privacidade online e limitar a quantidade de informações que o usuário quer fornecer. Outro fator preocupante é o vazamento de dados de companhias telefônicas: é conhecido durante anos que as bases de dados de algumas delas estão à venda em regiões conhecidas por fornecer software e hardware, portanto não seria difícil para um criminoso encontrar esses dados. 


Como posso ajudar a proteger quem amo?  


Os pais querem manter seus filhos seguros, mas simplesmente restringir seu acesso ao mundo online não é necessariamente a melhor maneira de fazer isso. A educação e a comunicação têm uma importância enorme para garantir que as crianças usem a Internet de maneira responsável e segura. Mas também é fundamental usar um software para reforçar sua defesa. Limitar o tempo online é uma parte muito importante do processo, mas, isoladamente, não funciona. A tecnologia pode reduzir os riscos, permitindo que as crianças explorem com segurança todos os aspectos positivos da Internet e desenvolvam habilidades digitais sem precisar se preocupar com as ameaças virtuais. 


É importante que os pais não deixem as crianças desacompanhadas em suas atividades digitais, pois há uma grande diferença entre cuidado e intromissão. Embora seja importante confiar nas crianças e ensiná-las como se comportar online com segurança, suas recomendações não são capazes de evitar que algo apareça inesperadamente na tela. 


Por isso, soluções de segurança avançadas são essenciais para garantir que as crianças tenham experiências online positivas e não prejudiciais.


Fonte: IDGNow!



Voltar