Em foco

Um terço das compras online dão problemas, mas ainda são poucos os que reclamam

Mais de metade dos consumidores da União Europeia usam plataformas de compras pela internet. As dificuldades mais comuns passam pelos erros nos pagamentos e nos pedidos e pela demora ou engano no local de entrega.

Data: 05.06.2018

Um terço das compras online dão problemas, mas ainda são poucos os que reclamam

Cerca de 57% dos consumidores da UE fazem compras online com 31% deles a encontrar vários obstáculos ao longo do processo, revela a Direção-Geral da Justiça e dos Consumidores da Comissão Europeia.


E, embora os consumidores e comerciantes dos países da União Europeia tenham, desde 2016, uma plataforma online destinada à resolução fora dos tribunais de litígios na área do comércio eletrónico, são poucos aqueles que protestam ou apresentam queixa.


Desde que foi lançado, o recurso denominado ODR - Online Dispute Resolution, ou RLL em português, já recebeu quatro milhões de visitas e 50 mil queixas, o que representa uma média de duas mil queixas por mês, um valor aquém das expetativas e que estará na base de uma nova divulgação da plataforma em vários países europeus.


Criada pela Comissão Europeia com a intenção de reforçar a confiança nas compras online, nomeadamente transfronteiriças, e assim contribuir para a estratégia do Mercado Único Digital da União Europeia, a plataforma conta com 2080 reclamações de consumidores portugueses, bem menos do que as queixas feitas por consumidores alemães (15.070), noticia o Público.


No último relatório sobre o comércio eletrónico elaborado pela Statista, os dados prospectivos indicam que o retalho online deverá crescer até seis vezes mais do que o retalho físico até 2021, ano em que o e-commerce valerá aproximadamente 3,85 mil milhões de euros.


A Amazon e a Alibaba são líderes destacados no mercado de comércio electrónico a nível mundial com a norte-americana a ter uma quota de mercado global de 19,4%, seguida da chinesa com 13,7%.


Em Portugal, o volume de negócios das compras eletrónicas efetuadas em 2017 foi de 4141 milhões de euros, com os últimos dados da consultora IDC a apontar que, no final de 2018, deverá ser de 4541 milhões.


Apesar deste aumento, apenas 39% das empresas portuguesas têm presença online e só 27% fazem negócio através da internet. Com a penetração do e-commerce em Portugal a ser apenas de 36%, a maioria das compras feitas por via eletrónica são feitas em sites internacionais (81%).


Fonte: SapoTek



Voltar