Em foco

Alexa da Amazon grava conversa de família e compartilha com contatos sem autorização

Caso aconteceu com família nos EUA; Companhia confirmou o problema e disse que avalia opções para tornar incidente 'menos provável'

Data: 28.05.2018

Alexa da Amazon grava conversa de família e compartilha com contatos sem autorização

Depois de soltar aleatoriamente gargalhadas um tanto macabras, agora a assistente inteligente da Amazon, a Alexa, protagonizou uma história de invasão de privacidade - o dispositivo Echo, reportadamente, gravou conversas de uma família e compartilhou os áudios de forma aleatória, sem a permissão dos usuários.


O caso aconteceu com uma família de Portland, Oregon, nos Estados Unidos. O site local KIRO 7 reportou que a família em questão sentiu "sua privacidade invadida" quando um conhecido alertou que recebeu conversas privadas gravadas e enviadas pela Alexa.  


"Uma total invasão de privacidade. Imediatamente eu disse, 'eu nunca vou ligar esse dispositivo de novo porque não posso confiar nele", afirmou ao site a mulher identificada como Danielle.  Ao site ela explicou que tinha dispositivos Echo em casa e que um funcionário de seu marido avisou que recebeu no início de maio uma conversa de sua família sobre pisos de madeira. 


A Amazon reconheceu o problema nessa quinta-feira (24), descrevendo-o como uma "improvável série de eventos" que fizeram a Alexa enviar gravações de áudio para os contatos da família. 


O impacto em casa


A Alexa começa a gravar uma conversa quando escuta um comando de ativação, no caso o seu próprio nome, ou ainda outra palavra selecionada por usuários para que ela "acorde". Segundo a Amazon, o que aconteceu, provavelmente, neste último episódio foi que o Echo foi ativado com uma expressão parecida com Alexa. A conversa subsequente foi ouvida, então, como um pedido de 'enviar mensagem'. "Naquele ponto, a Alexa disse em voz alta 'para quem' e a conversa de fundo foi interpretada como um nome na lista de contatos do cliente", explica a Amazon por meio de nota. A Amazon ainda informou que está avaliando opções para tornar esse caso ainda menos provável. 


O episódio com a Alexa, que concorre com o Google Home, mostra que a inteligência artificial ainda peca em interpretar comandos e conversas, além de servir de alerta para aqueles mais preocupados com a privacidade de seus dados e conversas.


Fonte: IDGNow!



Voltar